Como Ajudar AFPAD

Domoweb


Diretor da Segurança Social visitou a AFPAD


Para analisar problemas e encontrar soluções


       O Dr. Rui Barreira, Diretor da Segurança Social de Braga, visitou, no passado dia 10 de Março, o Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) e o Lar Residencial, localizado em Vermoim, da Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência (AFPAD).

       Neste encontro de quase uma tarde com os dirigentes, técnicos, colaboradores e utentes da AFPAD, Rui Barreira teve oportunidade de sentir o que é a vida diária da instituição e inteirar-se dos seus novos projetos e ambições para o curto e médio prazo.

       A ampliação do Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), o reforço do acordo de cooperação da Equipa Local de Intervenção (ELI) e a construção do novo Lar Residencial da AFPAD foram objeto de uma análise aprofundada que envolveu, de forma entusisasta e sincera, o Dr. Rui Barreira e os dirigentes e técnicos da Associação Famalicenses de Prevenção e Apoio à Deficiência.

       O Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) da AFPAD é frequentando por 20 utentes, tantos quais integra o acordo de cooperação celebrado entre a instituição e o Ministério do Emprego e da Solidariedade.

       À data de 31 de Dezembro de 2015, a resposta social de Centro de Atividades Ocupacionais apresentava muitos candidatos em lista de espera. Pelo público que atinge, pelas atividades que desenvolve e pela sua importância social, a resposta CAO é muito procurada pelas famílias, prevendo-se que esta procura se torne ainda mais intensa no futuro.

       Na sua sede, situada na R. António Sérgio, em Vila Nova de Famalicão, a AFPAD tem condições para, com pequenas obras de adaptação dos espaços onde anteriormente funcionava a Intervenção Precoce, integrar rapidamente mais 8 candidatos, desde que o Ministério do Emprego e da Solidariedade Social amplie o atual acordo de cooperação de 20 para 28 utentes.

       AO Dr. Rui Barreira prometeu estudar o assunto. Um técnico da Segurança Social virá em breve à instituição, de forma a verificar-se se há ou não há condições para aumentar a capacidade desta resposta social.

ELI e Lar Residencial

       O Instituto da Segurança Social/Centro Distrital de Braga, a Administração Regional de Saúde do Norte, a Direcção Regional de Educação do Norte e a Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência (AFPAD) celebraram, em Maio de 2011, o “Protocolo de Constituição” da Equipa Local de Intervenção do Município de Vila Nova de Famalicão, no âmbito do “Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância”.

       A Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência tem afetas ao projecto três técnicas: uma Psicóloga (50%), uma Assistente Social (50%) e uma Terapeuta da Fala (100%). Nos últimos meses, a AFPAD teve que reforçar a equipa técnica da ELI, contratando, a tempo parcial, mais uma terapeuta da fala, tal é o volume de trabalho a que a equipa está diariamente sujeita.

       Durante o ano de 2015, o número mensal de crianças acompanhadas pelos técnicos da ELI situou-se sempre acima de oitenta, e sempre com uma lista de espera de grande dimensão. A AFPAD tem acordo de cooperação para apenas 40 utilizadores, o que está a tornar a situação insustentável.

       Foi este problema que também foi debatido com o Dr. Rui Barreira que mostrou grande abertura para ajudar a encontrar uma solução que corresponda às necessidades da AFPAD.

       A AFPAD tem também em funcionamento, há treze anos, na Freguesia de Vermoim, na Avenida João XXI, nº 1928 (à margem da EN 206, no sentido Famalicão – Guimarães), o Lar Residencial “A Minha Casa”, para portadores de deficiência, a partir dos 16 anos de idade.

       O Lar Residencial “A Minha Casa” tem capacidade para doze utentes, lugares há muito esgotados, com a existência de uma longa lista de espera, tem acordo de cooperação com a Segurança Social e funciona numa vivenda já muito antiga, provavelmente dos anos quarenta do século passado.

       Perante estas contingências, a AFPAD apresentou à autarquia um estudo prévio de implantação de um novo Lar Residencial numa parcela dos terrenos onde até há pouco tempo atrás viveu a comunidade cigana da Estação. A área necessária para construir este novo equipamento é de 920 m2, a desanexar da propriedade que tem aproximadamente 4 438m2 de área.

       O processo está a seguir a tramitação normal nestes casos, esperando a AFPAD que, a curto prazo, a situação do terreno esteja resolvida, de forma a poder equacionar outras fases do projeto, sendo provável que, na sequência de uma sugestão dada pelo Dr. Rui Barreira, a instituição opte por uma solução mais abrangente que, além de contemplar o Lar Residencial, possa dar resposta a outras necessidades da comunidade.


11-03-2016